Baixo volume de vendas e alta do dólar puseram fim à operação local

A Polaris suspendeu a importação e vendas das motos Indian no Brasil. A empresa, que controla a fabricante centenária de motocicletas, atribui a decisão à situação econômica do Brasil e à falta de rentabilidade do negócio. De janeiro até 25 de junho de 2018 haviam sido emplacadas menos de 130 unidades no Brasil.

As motos de origem americana começaram a ser montadas dentro da estrutura da Dafra no segundo semestre de 2015 e tiveram a produção interrompida em maio de 2017. Pouco mais de 800 unidades foram feitas no País. No segundo semestre de 2017 a Polaris decidiu importar as motos.

O preço elevado da Indian sempre foi um obstáculo. Antes de o dólar disparar, o modelo mais acessível (Scout 1130) tinha preço sugerido de cerca de R$ 50 mil e a família Chief 1800 partia da casa dos R$ 80 mil. A falta de variedade foi outro problema. As linhas Indian são baseadas em dois motores e o que muda entre as versões é basicamente o acabamento.

Segundo a Polaris, durante os próximos quatro meses as cinco concessionárias (nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis e Goiânia) continuarão abertas, vendendo o estoque remanescente e fazendo a manutenção das motos. Passado esse período, o pós-venda será feito em concessionárias de quadriciclos Polaris a ser definidas e também em oficinas credenciadas.

Em comunicado, a empresa se compromete a manter todo o suporte de pós-venda aos clientes por dez anos ou mais, incluindo a venda de peças dasmotos pelas concessionárias Polaris selecionadas e das oficinas credenciadas. É possível obter mais informações a respeito no telefone (11) 3336-5482 ou pelo e-mail contatobrasil@indianmotorcycle.com.